segunda-feira, 29 de junho de 2015

Participação da poetisa Carmem Lúcia- Sem a vogal "A"

"Voejo entre nuvens"

Respiro e sinto,
O frenesi do vento.
Um voo entre nuvens,
No limite do céu.

Inclino meu corpo.
Em leve sopro,
Voejo com vestes,
Cobrindo-me em véus.

E meio desnudo,
Meu colo recubro,
Com versos líricos,

             Vindo dos céus

Carmen Lúcia- http://mamymilu.blogspot.com.br

Suspirei - Compondo sem a vogal "A"





Suspirei ao ver seus olhos negros,
Você correspondeu,
Esboçou um longo sorriso,
Vibrei com o seu sim.
                      
Olhos profundos que em mim  
Provocou imenso delírio...
Tem sentido? Creio que sim!
Você se fez cúmplice do meu desejo.

Vem pro meu mundo de sonhos,
Voemos pelos céus,
Como novelos de nuvens
Correndo célere cobrindo os montes.

dinapoetisadapaz

domingo, 28 de junho de 2015

Tudo tem fim- Compondo sem a vogal "A"

CATEGORIA: EXPERIMENTAL COMPONDO SEM A VOGAL "A"
CRIAÇÃO: dinapoetisadapaz




















Senti seu cheiro     
Em meus lençóis,
Que enjoo!

Veio-me um sorriso,
Em outros tempos
Só delírios...

Tudo tem um fim
O choro de ontem,
É o riso do hoje!!

dinapoetisadapaz

Sem Direitos - Compondo sem a vogal "A"












Sem direitos,
Sem vez nem voz,
Com os olhos cegos.
Somos nós,
Senhores do bem.

Vivendo nesse mundo,
Confusos e omissos
Vestidos de silêncio.
Somos nós,
Senhores do bem.

Preteridos,
Temendo, sofrendo
Sem defensores.
Somos nós,
Senhores do bem.

Consumidos,
Escondidos
Sem divertimento
Vivemos nós
Senhores do bem

Sem o prometido,
Desprovido de tudo,
Sucumbido,
Fiquemos nós
Senhores do bem.

dinapoetisadapaz



http://www.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=5292271

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Segredo -: Compondo sem a vogal "A"














Sei do seu segredo , deleites e desfrutes.

Sei  tudo, e detenho-os  como deténs.

Sem temor, deixou-se envolver... Entrementes

dos  olhos coletivos, fizeste refém! 


Sem motivo ficou ressentido,
Sequer, pensou em mim,
como fiquei, o que sofri
de vê-lo envolvido em outro contexto.

Consegui sobreviver o momento cruel,
este que me presenteou com desdém
e com certo resquício de ódio.
Mas existe o tempo, meu e seu!
E o tempo é severo... 




dinapoetisadapaz      

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Participação da poetisa lua singular (sem a vogal "A")



Beijo no Escuro

Sob o céu escuro
Vejo teus olhos pretos
É noite meu querido
Quero os teus beijos.
                                                                    Lua Singular


***



   O Lírio Vermelho



O lírio vermelho sem rubor

Fez fecundo o seu belo viver

No sol vive forte e bem viril

Com desejos de ler versos



O seu lindo futuro cônjuge

Ele tem voz com belo estilo

Um lírio azul ele fecundou

O escolhido foi ele, seu amor



 Sem limites muitos férteis

Unindo os seus dois polens

Com estilos, pequenos lírios

Irrompem no verde do solo



Ó jovens do mundo inteiro

Cuidem muito bem dos lírios

Lírio que oferece com beijo

Melódico com ruído do vento



Lua Singular

***



Decanatos Póeticos

Estilo Experimental criado pela poetisa Norma Aparecida Silveira A Paz no Carnaval Da grande amiga um convite recebo, Pa...